Os pais têm papel fundamental na educação de seus filhos


Os filhos precisam de seus pais, a personalidade da criança e do adolescente se estrutura e molda no meio familiar. Os pais, responsáveis pela educação e orientação de seus filhos, devem assumir o seu papel e, além de oferecer amor e estabelecer limites. Tal responsabilidade, ainda que exigente, não pode deixar de ser exercida com autoridade, à medida em que os filhos precisam abarcar a verdadeira figura dos seus responsáveis.

O caráter e a conduta que seu filho assumirá a amanhã dependerá de como vocês o "está moldando" hoje! Portanto, o papel dos pais na educação persiste em muita dedicação de tempo, amor, persistência e estímulo ao aprendizado dos filhos, buscando sempre estar presentes em todas as experiências das crianças.

Atenção, não transfira a responsabilidade pela educação de seus filhos para outras pessoas.


Algumas dicas podem ajudar:

1. Participe diariamente da rotina de seu filho Participar só quando chega o boletim da escola não vale: é preciso se aproximar do cotidiano da criança. O pai deve participar como quem vai dar o limite, quem vai estimular e elogiar, quem vai acompanhar a criança. A proximidade e confiança se constrói dia a dia.

2. Não confunda atenção afetiva com atenção material Ao testemunhar um mau comportamento dos filhos, muitos pais se queixam dizendo “Mas não está faltando nada para ele”. Não está faltando nada mesmo? Carinho não pode ser trocado por presentes. A presença é fundamental e insubstituível. Se envolver com os filhos não se resume a levar um presente no final do dia.


3. Seja afetuoso

Os pais podem e devem mostrar o amor que sente pelo filho. Lembre-se a criança precisa de afeto. 4. Seja um exemplo Um bom pai ou uma boa mãe, são também bons cônjuge e bons cidadãos. Para os filhos crescerem da melhor maneira possível, portanto, os pais devem ser maduros emocionalmente. Para ser bons pais é preciso procurar, antes, ser bons seres humanos, dotados de ética e bons exemplos. Não exija de seus filhos comportamento que não condiga com o seu.

A palavra, às vezes, convence, mas o exemplo arrasta.


5. Não seja permissivo, saiba colocar limites Os pais permissivos vão na contramão dos pais autoritários. Embora afetuosos, eles não se dispõem a estabelecer limites para os filhos. E terminam sendo ausentes. Os pais demasiadamente permissivos deixam de se posicionar e preferem deixar o filho fazer tudo o que quer. “É aquele pai que costuma dizer: ‘vê com a sua mãe’ ou “vê com seu pai” e nunca tomam as decisões”.


6. Filhos uma tela de pintura em branco

Um filho é como uma tela de pintura em branco. Quando trabalhamos essa tela, vamos criando formas, que podem ser admiradas ou rejeitadas. Portanto, vamos cuidar dos nossos filhos como se estivéssemos desenhando uma obra de arte para a vida.


O amor que permite tudo é leviano!





Posts Em Destaque
Posts Recentes